Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

segunda-feira, 6 de março de 2017

As vezes olho para mim e me sinto um impostor: Hei, habib, cadê o meu tarbush (chapéu cilíndrico)? Por que não aprendi a jogar shesh besh (gamão)? O bigode sumiu com a juventude; porém tenho mantido o gosto pela culinária otomana, o suficiente para ter frequentado as casas de pasto especializadas até o litoral atlântico. Tabule, pita, charuto de repolho, abobrinha e berinjelas recheadas e esfihas são minha salvação. Aqui em Campinas tive lugar cativo no PAPAI SALIM – o melhor nome destes lugares, pois brinca com o esteriótipo, eu apenas trocaria os “ps” pelos “bs” (não há o som “p” no árabe); ou o JABER em S. Paulo, onde sempre fomos recebidos gentilmente pelo “Sr. Maurício”. Aliás a ideia para esta nota surgiu quando descobrimos que ele ultrapassou os noventinha. Faz algum tempo que não passo pela rua Domingos de Morais..

Nenhum comentário:

Postar um comentário