Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

O que há de comum entre os BRAGANÇAS, dinastia real e imperial luso-brasileira (católica romana) e os FREUDS, judeus germânicos? Uma situação menos observada, porque íntima – a angeolatria (culto aos anjos). Como se sabe disto? Vejam os nomes: Os descendentes de D. Pedro III (1717-1786) e D. Maria I (1734-1816) enfileiram aos seus nomes a locução onomástica “MIGUEL GABRIEL RAFAEL de...”, comum a maioria deles (como exemplo: Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádio MIGUEL GABRIEL RAFAEL Gonzaga, Pedro II); algo que também aconteceu aos netos de Sigmund Freud (filhos de Ernst): Stephan GABRIEL (1921-), o pintor Lucian MICHAEL (1922-2011) e o político Clement RAPHAEL (1924-2009), a tríade angelical.

Nenhum comentário:

Postar um comentário