Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sábado, 5 de julho de 2014

“Quebraram o acordo. Prenderam o capitão Fonseca.Vamos partir para cima deles. Lá fora tem 3 mil soldados querendo beber nosso sangue. Todos são inimigos. Não é mais política, é a Honra que não pode ser manchada, é a Honra do soldado que está em jogo. Ninguém se entrega. Chance zero de sobreviver. Vamos colocar a marca de Caim neles. Vou urinar e quando voltar, só quero na sala os que vão sair da unidade para morrer. Os restantes estão dispensados”. Eram 301 homens entre soldados e oficiais, quando ele voltou restavam 28 na sala. “Combateremos a sombra”, deve ter pesado o tenente Gomes, que lia bastante. O soldado Santos cortou a bandeira brasileira em 29 frações, um pedaço para cada e outra para o capitão Fonseca (que estava preso). O tenente Carpenter, que vinha de uma linhagem de combatentes na Independência, no Paraguai e em Canudos (onde teve o avô empalado), começou a escrever a carta de despedida para a mãe. O sargento fazia a chamada: Reis, Nunes, Oliveira, Melo.... “Vamos”. 5 de julho de 1922: Saíram duas dezenas de combatentes do Forte de Copacabana pela Avenida Atlântica em direção ao Leme, no meio do percurso alguns desistiram e só dezoito prosseguiram para salvar a Honra. O paisano Dr. Correia entrou na formação e tomou o lugar de um desertor. Tiros e combate corpo-a-corpo. Na altura do Porto 3, os Legalistas encontram apenas três feridos: o tenente Campos, com uma perfuração de baioneta na região do fígado; o tenente Gomes, com fratura exposta do fêmur e o soldado Santos. O restante morreu. As mentalidades mudam lentamente. Mas mudam. IMAGEM – Eduardo Gomes, Mario Carpenter, Newton Prado, Otávio Correia e Pedro Melo caminham para o confronto;

Nenhum comentário:

Postar um comentário