Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

terça-feira, 22 de julho de 2014

O Miguel, vamos chamá-lo assim, vinha daquelas famílias que fugiram da Espanha, quando o fogo passou a ser parte do cotidiano. Primeiro a família assentou-se em Seixas, freguesia de Vila Nova de Fozcoa e quando prenderam um, queimaram outro da família, não teve jeito, buscou uma forma de fugir. Ele entrou no balaio de roupa lavada que ia para um navio e alguns meses depois, estava livre na América com o nome de Abraham Mendes Seixas. A família prosperou: um deles fundou a Bolsa de N.Y., outro foi rabino e conversava com George Washington, porém o melhor viria depois.... EMMA LAZARUS (1849-1887), tetraneta de A.M.S., foi poeta e a mão que escreveu o poema colocado na Statue of Liberty: “Não será como o gigante bronzeado da fama grega, / Com as pernas abertas e desafiadoras entre terras. / Em nossos portões banhados pelo mar e dourados pelo sol / levantar-se-a uma mulher poderosa com tocha e chama / É o relâmpago aprisionado e tem nome, / Mãe dos Exilados. O farol convida: / Sob o suave olhar: bem-vindos a todos, / unindo assim o porto a cidade. / Mantenham o orgulho, terras antigas, lamenta / E com os lábios silenciosos; dê-me porém os cansados, os pobres / as massas encurraladas ansiosas por respirar a liberdade, / o miserável refugo das cidades populosas / Mandem a mim os sem abrigo, os náufragos. / Minha lâmpada os alumiará” (“traição” de pv). Happy Birthday (22/07), miss Lazarus, que o seu poema seja lido e praticado mais vezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário