Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

No tempo em que professores e PMs (policiais) se engalfinhavam aos socos e pontapés pela educação paulista; numa destas refregas o amigo e colega Wolney Colussi notou que o caminhão de som do sindicato docente listava os nossos apoios, todos terminados em “inho” (Paulinho, Luisinho, etc”), e comentou desolado: nestas horas precisamos é de “ão” (Paulão, Luisão, etc). Assim é a Seleção brasileira, com tantos anões escalados pode ser até bom pelo “Politicamente Correto”, mas é uma joça para o resultado. Só dois jogaram bem o torneio (David Luís e Marcelo). O resto pode ser resumido assim: o capitão é um “emo” atormentado. Jô conseguiu “provar” que futebol é mais difícil que equação de terceira grau e os outros pipocaram feio – um até fingiu contusão para não entrar no jogo decisivo (na Copa de 58 o lateral direito engoliu um tubo de dentifrício para isto). Fora do campo os “fracassomaníacos” quebraram as caras. O título da Alemanha é merecido. O melhor jogador do torneio foi o Robben (da partida final, Schweinsteiger e Mascherano) Sempre é bom ver futebol bem jogado. Foi uma boa Copa, mesmo assim, vamos nos tornando lentamente uma Hungria. Já fomos muito bons nisto. Amanhã a Macaquinha (Ponte Preta) pega a Portuguesa.... IMAGEM: Brasil, campeão mundial e Alemanha, 3º colocado, México, 1970.

Um comentário:

  1. Oi Paulo, bom dia.

    Aquele negócio dos caras entrarem feito ginasianos (cobrindo o ombro do coleguinha) no campo foi de lascar, haja pieguice. Era pra vender o que? Ombreiras? Mas o garoto propaganda de cuecas e óculos ficar cumprimentando todos ao estilo Don Corleone, foi a cereja do bolo. Muita propaganda e pouco futebol. Há, no jornal que você enviou, noticia que o Uruguai perdeu o terceiro lugar lutando. Quanto ao time "amareladinho"...
    Neologismo para o futebol: uma surra muito grande e vergonhosa, em vez de chocolate, devia se chamar chucrute. Leia-se, o time "amareladinho" levou um chucrute dos tedescos...

    ResponderExcluir