Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Você precisa de mais o que? Na minha geração a frustração por não conseguir algo era o motor para valorizar o que se tinha e o impulso para lutar por novas coisas. Percebo que a geração contemporânea não aguenta um não, tornam-se ressentidas; isto, quando não queimam os fracos pelas ruas ou atiram em pessoas nos cinemas, nas escolas. Ingerir água fresca e a comida bem temperada; sentir o perfume das coisas; ouvir o outro e a música; ver toda a beleza do mundo; parece pouco para esta gente. E quem como HELEN KELLER (1880-1968) que foi MUDA (aprendeu a falar mais tarde), SURDA e CEGA? Pense em quanto ela era privada de compartilhar a existência humana. Ela não desistiu, aproveitou todas as oportunidades, imagine o seu esforço; depois que a sua mestra Anne Sullivan lhe prontificou-se em ensinar-lhe. H. K. escreveu doze livros, lutou pelo sufrágio feminino e direitos dos trabalhadores. Professou o cristianismo de Swedenborg. Um dia ela passou pelo Brasil; mas, hoje é (27/06) é o seu aniversário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário