Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

O encontro foi rápido. O mais conhecido antissemita português, o fazendeiro Mario Saa levou o ERNESTO de CAMPOS MELO e CASTRO (1896-1973), “judeu da Covilhã” ao escritório do FERNANDO PESSOA (1888-1935), de ascendência israelita paterna. Restou do encontro, o chiste de Saa: “vocês tem o mesmo nariz” (usando o esterótipo). F. P., não ficou nisto. Ele tomou algumas características do visitante e usou no heterônimo ÁLVARO de CAMPOS: ambos são Campos, “judeus beirões” e possuem o fenótipo de “judeu português”. Librianos: Álvaro é de 15 de outubro (de 1890) e Ernesto, de 9 de outubro (1896). Ernesto é engenheiro químico. Álvaro é engenheiro naval. Álvaro nasceu em Tavira, no Algarve, como o avô de Pessoa, porém é de origem beiroa como os outros. Um e outro escreveram poesia. Deve-se ao encontro os surpreendentes versos que recontam a “akedá” (atadura) de Isaque: “(...) tenho a impressão de ter em casa a faca / com que foi degolado o Precursor (...)” e outros poemas relacionados aos cristãos-novos portugueses. F. P. nasceu num dia como hoje (13/06).

Nenhum comentário:

Postar um comentário