Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Como educar civicamente as massas e desviá-las do Ateísmo anticlerical? JULES RIMET (1873-1956), advogado francês, oriundo de família rural, católico e republicano, apostou no futebol. Primeiro fundou o clube Red Star para operários, tornou-se depois presidente da FIFA (o órgão máximo do futebol) e criou a Copa do Mundo para que os povos possam dialogar na linguagem universal que é o futebol. Só não ganhou o Prêmio Nobel da Paz porque morreu no ano que foi indicado ao galardão. Já que não pode ser entregue a ele, não foi concedido a ninguém naquele ano. O Brasil atendeu o chamado de monsieur Rimet no primeiro chamado, porém, só vestiu o amarelo heráldico de D. Maria Leopoldina (os Habsburgos) a partir do final dos anos cinquenta graças a um designer gaúcho. Foi campeão cinco vezes e produziu gente como Pelé – o brasileiro que destruiu o “complexo de vira-latas” difundido pela “quinta coluna local”, o único brasileiro universal. Esforço e sorte: alea jacta est, como firmou o Romano frente ao riacho interdito, antes de molhar as canelas. IMAGEM 1 – Monsieur Rimet na primeira viagem ao Brasil (ele veio duas vezes);

Nenhum comentário:

Postar um comentário