Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Aonde vamos? Devem ter pensado os RIVLIN, descendentes do rabino MOSES (da Rivka, daí o Rivlin) b. NAFTALI HIRSCH SOFER (falecido em. 1671), quando encontravam uma dificuldade pela frente. Como as dificuldades faziam parte do cotidiano judaico da Europa Oriental deambularam bastante. O próprio Moses saiu de Viena para Amsterdam, onde conviveu com Jacob Castelo, Dr. Efraim Bueno e os rabinos Yitzhak Aboab e Saul Levi Morteira, assimilando o misticismo do grupo. Dentre os seus descendentes está o GAON DE VILNA (1720-1797) e HILLEL RIVLIN (1758-1859). Em 1808. H. R. subiu para o Eretz Israel, onde escreveu um tratado místico sobre os 999 passos para a chegada do Maschiach. No século XXI os descendentes do rabino Moisés da Rivka são uma multidão de cinquenta mil pessoas – destes 35 mil vivem em Israel. O restante está espalhado pelo mundo, inclusive no Brasil. Muitos deles são intelectuais. YOSSEF YOEL RIVLIN casou-se com uma Rivlin e traduziu o Alcorão e as 1001 Noites para o hebraico. O filho REUVEN RIVLIN foi eleito 10º Presidente de Israel dias atrás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário