Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

domingo, 25 de maio de 2014

Por onde andam os descendentes da Marquesa de Santos e D. Pedro I? Vamos começar pela filha, D. ISABELA MARIA DE ALCÂNTARA BRASILEIRA, que viveu na Baviera, onde se casou com o conde Fischler v. Treuberg, neto de um príncipe alemão (aqui entre nós, qualquer príncipe alemão possui menos terra que um Junqueira ou um Dantas nos bons tempos). Vida pacata. Preocupações? Morreu Tante fulana. Casar-se com quem? O tempo passou. O filho Ferdinand casou-se, teve o filho Ernst. Ernst casou-se e teve a Bianka, esta, casou-se com o príncipe Leopold zu Loewenstein-Wertheim-Freudenberg (neto materno do banqueiro Henry de Worms, descendente dos Rothchilds e de RASHI). Tiveram ao príncipe Rupert. RUPERT LOUIS FERDINAND FREDERICK CONSTANTINE LOFREDO LEOPOLD HERBERT MAXIMILIAN HUBERT JOHN HENRY zu LOEWENSTEIN-WERTHEIM-FREUDENBERG (1933-2014), fez tudo comme il fault. Estudou em Oxford, comprou um banquinho mal dirigido e fez bastante dinheiro com ele. Certo dia encontrou numa festa alguns moleques extravagantes, que faziam sucesso, mas, não conseguiam ganhar dinheiro, aceitou o convite de administrá-los e assim por quarenta anos ele dirigiu as finanças dos Rolling Stones. Rupie the Groupie, morreu na terça-feira passada (20/05).

Nenhum comentário:

Postar um comentário