Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

O poeta RAINER MARIA RILKE (1875-1926) ao olhar a pirambeira onde o castelo estava postado, veio a si a frase, que virou o primeiro verso do seu poema Elegia de Duino (nome do castelo): “Quem, se eu gritasse, me ouviria dentre as ordens dos anjos”. Quem lhe ouviu na angustia, foi a princesa Marie della Torre e Tasso (1855-1934), que lhe deu pouso nos anos 10, quando da quebra do romance do poeta com Lou Andreas-Salomé e da eclosão da I Guerra. Ele ficou no castelo até concluir o poema, que é uma reflexão sobre a beleza e o sofrimento. O filho da anfitriã, príncipe Raimondo, passou pelo Brasil, mas, não foi perguntado se conhecia o poema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário