Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

O burguense Schlomo b. Yitzhak HaLevy (1351 – 1435) dormiu rabino e acordou D. Pablo Garcia de Santa Maria, bispo católico. Os seus descendentes e aparentados tomaram rumos surpreendentes: pois surgiram na parentela, desde uma mística feminista (Teresa de Cartagena) a rudes “Conquistadores” na América. Um deles, o frade Rafael, rumou para o Império Otomano e estabeleceu-se por lá. O seu descendente Naftali casou-se com a filha do rico comerciante Meir Amigo, “el Rey Chico”. É trineto do casal, Biniamin Zeev b. Yaakov, aliás, THEODOR HERZL (1860-1904). O húngaro T. H. escreveu bastante: artigos, peças teatrais e livros. Sobreviveu o livro Der Judenstaad – Versuch einer modernen Lösung der Judenfrage (O Estado Judeu – Proposta de uma solução moderna para a questão judaica, 1896), que não foi uma novidade política, mas, uma parte do processo iniciado há milênios. Feliz aniversário (02/05), Sr. Herzl.

Nenhum comentário:

Postar um comentário