Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

No começo do séc. XIX os atores Wojciech e Aniela (Kaminska) Aszperger se encontraram na Varsóvia natal, casaram e saíram mambembando Shakespeare pela Europa oriental. No fundão destas terras, nasceu a filha do casal, Leontyna Aniela, que por lá se casou com um aristocrata lituano, Adam Gielgud. A inquietude local fez o casal migrar para a Inglaterra, onde se estabeleceram com o filho Franciszek (Frank) Gielgud. Talvez até pelas conexões familiares, Frank casou-se também numa dinastia teatral britânica, os Terrys, e aí nasceu, o filho John. JOHN GIELGUD (1904-2000) também foi ator como muitos de sua parentela. Ele era tão bom que a sua reputação sobreviveu ao ser dirigido por Tito Brass. Nada apagou as suas atuações e a lembrança do homem bonito e elegante, o porte majestoso, a voz e dicção sedutora, que deu vida a tantos personagens. John deixou a ribalta num dia como hoje (21/05).

Nenhum comentário:

Postar um comentário