Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Riachão do Dantas é uma cidade de Sergipe. Ela surgiu em torno de um engenho da família Martins Fontes nos anos trinta do século XIX. Isaías Pereira do Nascimento (1884-1980) chegou a ela, vindo de Bom Conselho (hoje Cícero Dantas), para se casar com a filha de “seu” Jucundino Martins Fontes, em 1911. Ali começou a exercer o seu ofício de seleiro, que substituiu até o seu nome de família, tornou-se ISAÍAS SELEIRO, fabricando sapatos rolós, jalecos, selas (arreios) e “calçados para foot-ball” para a região. Quando a sua esposa morreu, ele casou-se pela segunda vez, depois pela terceira e pela quarta vez, gerando 43 filhos (todos trabalhadores e gente de vida decente). Era profundamente católico e praticava a caridade, como expressão de sua fé. O seu filho (o 41º), o padre Isaías Nascimento Filho, que é pároco no povoado S. Miguel em Propriá, escreveu o livro: “Seu Isaías Seleiro do Riachão. Suas quatro esposas e seus quarenta e três filhos” (Aracaju, J. Andrade, 2014), 136 páginas. Para quem gosta de uma boa biografia ou quem estuda comunidades rurais, genealogia sergipana, é uma recomendação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário