Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

O licenciado (depois de quatro anos numa universidade) JORGE DE VALADARES (+1557), cristão-novo vimaranense, desde que saíra do Minho, rodara o mundo, curara gentes na Índia e terminou a vida em Salvador. Veio com o governador-geral Tomé de Sousa, para compor a infraestrutura da cidade a ser fundada. Entre 1549 a 1553 ele foi o “physico-mor” da cidade, aliás, o primeiro. Cabia a si o controle sanitário da cidade, dos profissionais de saúde (físicos, barbeiros, sangradores e parteiras), fiscalizar os preços e a conservação das boticas. Como a cidade nascente não tinha nada disto, ele dedicava-se aos raros pacientes e aos seus negócios, até sumir na obscuridade e depois na poeira. A sua parentela, alguns primos e sobrinhos que vieram depois, ficou por ai: funcionários públicos, pequenos fazendeiros no Sertão, comerciantes, advogados, professores, engenheiros, médicos ... Parabéns Salvador, 465 anos (29/03).

Nenhum comentário:

Postar um comentário