Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

terça-feira, 22 de abril de 2014

O encontro do português DIOGO PIRES com aquele estranho homem mudou a sua vida e da parentela. Primeiro ele acompanhou o misterioso David Reubeni a Roma, depois esteve em Salônica estudando com sábios, declarou-se o Messias sob o nome de SCHLOMO MOLCHO e terminou queimado como herege em Mântua. Logo surgiram outros Molchos (ou Molhos, de melech, rei) no Império Otomano, muitos dedicados as atividades intelectuais (professores, donos de livraria e rabinos), mesmo assim subsistiu o preconceito contra o seu passado messiânico (no contexto judaico). Há um registro em processo, onde alguém lhes censura: “dinsis, imansis [sem lei, nem fé, em turco]...ya se sabe la mispaha [parentela, em hebraico] de los Molhos lo que es; y Simón Molho es de mispaha de cristianos yaurdan dönme [cristãos-novos renegados, em turco]”. Para entender o percurso de ancestrais, o rabino MICHAEL MOLHO (1890-1964), Grão-rabino de Salônica, dedicou-se a estudá-los como historiador. Ele publicou vários trabalhos sobre o tema e um dia passou pelo Brasil...

Nenhum comentário:

Postar um comentário