Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Num bailinho de trabalhadores, a parteira VICTORIA DENISOVA (1907-1995), conheceu o engenheiro LEONID BREZHNEV (1906-1982), casaram-se e tiveram filhos, netos, etc. Enquanto ela ficou na vida doméstica, ele dedicou-se a política em tempo integral, esteve longos dias fora de casa, buscando livrar-se das puxadas de tapetes e passando rasteiras nos outros. Em 1977 ele dedicou-se a construir uma constituição para a URSS. Neste período ele ficava em Zidovo, residência de verão, sabe-se lá fazendo o que. O seu Diário dá uma pista: “4 DE JUNHO DE 1977: Não fui a nenhum lugar, não telefonei a ninguém e ninguém me telefonou. Lavaram-me a cabeça e me fizeram a barba”. Entendem a necessidade do historiador?

Nenhum comentário:

Postar um comentário