Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Ele veio da terra de Pã. Enrico Balbino Caimmi, filho de ebreos (é assim mesmo que se escreve), chegou a Salvador para cuidar do Elevador Lacerda em 1872. Os seus irmãos, primos, sobrinhos ficaram por lá: Fulano pintando quadros, Sicrano editando jornais e até os Beltranos que pereceram no Shoah (Holocausto). Aqui ele ajudou a fazer a ligação da Cidade Baixa com a Alta e deixou nos ouvidos dos descendentes, o som do Mediterrâneo que acalentara os ancestrais. O bisneto, DORIVAL CAYMMI (1914- 2008) somou a eles, o som do Atlântico, que foi o seu jardim, onde ele recolheu tanta beleza. “Minha jangada vai sair pro mar / Vou trabalhar, meu bem-querer / Se Deus quiser quando eu voltar do mar / Um peixe bom eu vou trazer (...)” Feliz centenário, Sr. Dorival! IMAGEM 1 – E. B. C.; IMAGEM 2 – Dorival Caymmi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário