Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O santista Zé – JOSÉ BONIFÁCIO DE ANDRADA E SILVA (1763-1838) foi um homem muito inteligente. Talvez fosse o brasileiro mais culto do seu tempo. Deu aulas de mineralogia na Europa, enquanto S. Paulo substituía lentamente o nhengatu. Usou pela primeira vez em português a palavra “tecnologia” (1815). Viveu muito tempo na Europa, mas, mesmo assim, ele estava sempre de olho no Brasil. Foi tutor de nosso segundo Imperador e afastado do poder por um grupo mais competente politicamente. Exilou-se em Paquetá [Estive nos anos 90 por uma tarde toda na Ilha só para ver o lugar onde ele repousou da luta política] ... A sua filha CARLOTA EMILIA casou-se com o filho do cientista Vandelli e tiveram a NARCISA EMÍLIA, que se casou com o Visconde de Sepetiba. Este casal teve o filho AURELIANO, desembargador em S. Paulo, que casou-se com a Joana e tiveram ao ALBERTO (1880-1944), deputado, que se casou com a prima VALENTINA DE ANDRADA DE SOUZA QUEIRÓZ, do mesmo sangue do Zé e tiveram a: EDUARDO de Oliveira COUTINHO (1933-2014), cineasta, que viveu de olho no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário