Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Ele entrou para a língua falada no Brasil sem que fizesse nenhum esforço para tal, pois, viera ao Rio de Janeiro apenas para jogar futebol no Vasco da Gama. O argentino BERNARDO JOSÉ GANDULLA MARIAGETTI (1916-1999), o GANDULA era um armador que fizera nome no campeonato argentino e fora contratado por seus méritos. No Rio de Janeiro não teve muita sorte, já que a sua posse não foi liberada pelo clube detentor do seu passe, assim ele entrou poucas vezes na equipe, porém não conseguiu firmar-se, relegado a reserva na maioria do tempo – naquela época não havia substituições durante a partida. Sem atividades ele ficava a beira do campo e quando a bola saia pela lateral, a devolvia ao jogo. Foram tantas vezes que fez isto, que os catadores de bola posteriores, ironicamente – todo mundo que jogar, foram apelidados de “gandulas”. E gandulas são até hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário