Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sábado, 28 de dezembro de 2013

DIARIO DA COPA – 26/12/2013: A Ponte Preta sempre teve jogadores marcantes, inclusive pelo nome, como no caso do zagueiro negro ESTALINGRADO, inexpugnável nos anos Quarenta. O melômano goleiro CIASCA que deixou para o Museu local a sua imensa coleção de discos de ópera. São tantos, porém a unanimidade do melhor de todos, é de MESTRE DICÁ (Oscar Salles Bueno Filho, *1947), descendente das velhas famílias de Campinas, oriundo do Bairro Santo Odília, armador habilidoso, grande cobrador de faltas (artilheiro do time com 154 gols em 581 partidas), Campeão do Torneio de Acesso em 1969 e que levou a Ponte Preta a quatro decisões no Campeonato Paulista (1970, 1977, 1979 e 1981), mas, principalmente para quem convive com ele, um sujeito decente, orgulho de sua comunidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário