Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sábado, 30 de novembro de 2013

ROBERT COHN é um personagem de Hemingway, no livro The sun also rises (1926). Rico, educado em Princeton, mas, com valores sociais diferentes da turma que frequenta, é visto por eles como fraco ou ingênuo. Estudiosos da literatura de Hemingway afirmam que ele seria o romancista HAROLD LOEB (1891-1974). Porém há uma frase no livro que pode indicar mais verossimilhança com outro escritor americano. Hemingway, dentre outras coisas, escreve que ele pertencia as “velhas famílias judias”. ROBERT NATHAN (1894-1985), romancista, cabe mais nesta descrição, algo que não se ajusta a Loeb. Nathan descendia das “velhas famílias judias” americanas, “the Grandess”, como os chama Birmingham, vindas de Portugal (a maioria). O seu pai, o advogado HAROLD, é filho do ISRAEL, este filho do ISAAC, este da poeta GRACE (o irmão Gershon esteve como rabino na posse de Washington), e eles do lisboeta ISAAC MENDES SEIXAS (1708-1780), filho de ABRAHAM, gentes da Covilhã e anteriormente de uma freguesia de Vila Nova de Fozcoa. Este para fugir no porto de Lisboa, usou um estratagema, entrou num cesto de roupas e carregado por um gigante ultrapassou a vigilância inquisitorial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário