Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sábado, 30 de novembro de 2013

O empreiteiro (manceps operarum) anonimo vindo da Gália (França) cruzou o rio Pó para trabalhar nas colheitas dos Sabinos. Não voltou mais para a sua terra, casou-se por alí e teve um filho de nome já latinizado: TITUS FLAVIUS PETRO, que por sua vez, alistou-se como voluntário numa Legião Romana. Deu certo, a valentia trouxe-lhe o posto de centurião e quando voltou a vida civil recebeu a incumbência de cobrar impostos. O seu filho TITUS FLAVIUS SABINUS, neto do trabalhador inicial, continuou a tomar dinheiro dos cidadãos como coletor de impostos e terminou a vida na Gália. É possível que não tenha conhecido Asterix... VESPASIANUS (9-79), filho do anterior, apesar do conforto familiar e do acesso as redes genealógicas do poder, não lhe apetecia a carreira política. Era tímido e detestava a exposição pública, mas “incentivado” pelos insultos da mãe Vespásia (filha de militar e irmã de senador), que o menosprezava, entrou para a vida militar e terminou Imperador romano. Lutou por todo mundo romano, da Inglaterra a Bulgária e até no Eretz Israel, dentre outros lugares. Protegeu o historiador judeu Flavius Josephus (Yossef b. Mattityahu, 37-100). Criou um imposto sobre a urina coletada nos mictórios, feita para retirar a amônia, produto usado ao curtir couros, afinal “pecunia non olet (o dinheiro não tem cheiro)”. O seu nome tornou-se sinônimo de banheiro na Europa. É pai do imperador TITUS (39-81), que tomou Jerusalém. O imperador VESPASIANUS também teve uma filha, de quem não se sabe o nome, mas cujo filho é conhecido, não entre os Romanos, mas entre suas vitimas: ONKELOS, o Convertido (c. 35-120), personagem do Talmude e a quem é atribuido a autoria do Targum de Onkelos, tradução da Torah para o aramaico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário