Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sábado, 30 de novembro de 2013

ERMELINDA CANADAS MENDES LOPES, comerciante portuguesa de roupas, viveu no Brasil desde os anos Cinquenta. Faleceu em S. Paulo e foi sepultada no Cemitério Israelita do Butantã. Ela deixou a sua herança a Associação Israelita Beneficência Beit Chabad “com a missão de constituir uma FUNDAÇÃO [MARINHA MENDES LOPES, em lembrança a filha falecida] que apoiasse e atendesse as necessidades de crianças e adolescentes doentes e carentes do Brasil”. A Senhora Ermelinda fez parte de uma pequena onda migratória contemporânea, a dos judeus-portugueses, a partir dos anos Quarenta, impelidos por razões econômicas. Há gente de variadas origens geográficas e graus de observância. A figura mais conhecida de todos eles é o rabino MENDEL DIESENDRUCK, líder espiritual da comunidade judaica portuguesa entre os anos Trinta e Cinquenta. Na revista HaLAPID, porta-voz da “Obra do Resgate” da Sinagoga Kadoorie Mekor Haim, do Porto, editada pelo capitão ARTUR CARLOS DE BARROS BASTO, há vários registros desta migração. No nº 99, luas de maio e junho de 5700/1940, p. 5, sob a rubrica “Emigrantes maranos” são nomeados: JULIO CÉSAR D´ALGE, de Lagoaça; ANTÓNIO (Yomtob) RODRIGUES, de Belmonte; MANUEL ANTÓNIO (David) LAPO, de Vila Nova de Gaia e ARTUR HENRIQUE (Abraham) LOPES (coloquei uma foto dele em post anterior) e MANUEL AUGUSTO (David) RODRIGUES, ambos de Vilarinho dos Galegos. Em outros números da Revista e outras fontes há registros de mais imigrantes desta origem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário