Quem sou eu

Campinas, S. Paulo, Brazil
Historiador, Mestre em História Social (USP). Autor de "A presença oculta. Genealogia, identidade e cultura cristã-nova brasileira nos séculos XIX e XX": co-autor do "Dicionário Sefaradi de Sobrenomes / Dictionary of Sephardic Surnames" , "B.J. Duarte, caçador de imagens" e “Os primeiros judeus de S. Paulo - uma breve história contada através do Cemitério Israelita de Vila Mariana”.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

OBITUÁRIO: RASHID M. KAPLANOV (1949 - 2007)) e PAUL ARMONY (1932 - 2008)


O ofício de genealogista tem me dado oportunidade de conhecer gente extraordinária, que eu não teria a mínima chance de conhece-las, se não o fosse. Pelo meu interesse em genealogia dos descendentes de cristãos-novos consegui estabelecer uma rede de relações muito ampla. Foi assim que conheci o historiador russo Dr. Kaplanov e também o engenheiro argentino Paul Armony. Kaplanov por causa do médico beirão Ribeiro Sanches (1699-1783), que viveu na Rússia por mais de vinte anos, onde foi médico de Catarina a Grande, e no qual o estudioso russo era especialista e considerava "o primeiro intelectual judeu na Russia". Já Armony, como editor de um revista de genealogia judaica na Argentina, Toldot, pediu-me artigos sobre o tema que eu pesquisava e assim trocávamos experiências. O moscovita Rashid Muradovich Kaplanov (19/01/1949 - 27/11/2007), neto de um príncipe descendente de Maomé (Rashid Khan), mas de família judia e presidente da European Association of Jewish Studies, veio a S. Paulo em agosto de 1998, a convite da Federação Israelita do Estado de S. Paulo para fazer uma conferência na Folha de S. Paulo e aproveitou para visitar a SGJ/Br (antigo nome do Núcleo de Genealogia do AHJB). Ele falava 36 línguas, entre elas o português (e sua variante, o mirandês). Aqui ele conversou com Guilherme Faiguenboim, que me passou o seu endereço eletrônico e assim durante algum tempo troquei mensagens eletrônicas com ele sobre nossa interesse comum, o Ribeiro Sanches. A correspondência cessou algum tempo depois, mas, creio que com proveito para ambos.
Com Paul Armony (1932- 24/10/2008), fundador e presidente da Asociación de Genealogía Judía de la Argentina, a relação foi mais longa. Além dos artigos que publiquei na sua revista, trocávamos informações sobre genealogia judaica e principalmente sobre os cemitérios judaicos argentinos. Ele indicava a mim consulentes que procuravam informações no Brasil e eu fazia o mesmo para o lado argentino. Foi numa destas trocas de consultas que encontrei o descendente de um figurão da Zwi Migdal, que nos trouxe informações novas sobre o tema.Pesquisando na WEB encontrei a notícia da morte de ambos. Kaplanov em 2007 e Armony em 2008. Sei que é um pouco tarde. Mas em homenagem a eles o Núcleo de Genealogia do AHJB recorda os dois pesquisadores com saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário